Paulo Portas considera que a China é a “estrela ascendente da globalização”

Quinta, 15 de Junho de 2017

O antigo vice-primeiro-ministro esteve em território macaense para participar na “Conferência Internacional da 'Faixa e Rota' e o Desenvolvimento de Macau”

Paulo Portas considera que a China é a “estrela ascendente da globalização”

© Marcos Corrêa

Paulo Portas afirmou que a China é a “estrela ascendente da globalização” e o líder da “nova ordem internacional”, durante a “Conferência Internacional da 'Faixa e Rota' e o Desenvolvimento de Macau”, que se realizou na região administrativa.

"Portugal provou à RPC que era possível empresas chinesas - estatais ou privadas - vencerem privatizações num Estado membro do Euro, mesmo quando competiam com companhias europeias, desde que a sua proposta fosse a mais vantajosa. Portugal (...) foi também o destino que a emergente classe média chinesa escolheu para adquirir uma segunda residência na Europa", disse, o atual presidente do conselho estratégico internacional da Mota-Engil para América Latina e África, citado pela Lusa.

O antigo vice-primeiro-ministro elogiou ainda a China por ter escolhido “Portugal como uma das suas primeiras e mais estáveis parcerias estratégicas da Europa", devido à confiança estabelecida através do processo de transição de Macau, tendo considerado ainda que as relações entre ambos os países “não sofrem do mal do preconceito como tantas vezes vemos por aí”.

Além disso, ainda reconheceu a importância do país na ordem internacional, tendo aumentado o investimento na Europa "quase 20 vezes em menos de 20 anos".

O “gigante” asiático tornou-se "verdadeiramente a primeira economia do mundo, se tivermos em conta o PIB [Produto Interno Bruto] ajustado por poder de compra", segundo Paulo Portas.

Por fim, deixou ainda críticas aos EUA: "O Presidente chinês defende um modelo económico de mercado livre. Ao mesmo tempo, a nova bandeira americana parece ser a do protecionismo".

 

Por Redação